quarta-feira, 8 de abril de 2009

Filosofia Blasted - Novos capítulos



Ou isso é como quem diz, porque, a julgar pelas declarações à Time Out de hoje, as coisas estão mais ou menos na mesma...

"...Daí o álbum ter algumas características de uma carga mágica ou espiritual. É feito de magia científica e ciência mágica."

"A geometria sagrada foi o mote."
"Tem a ver com a perfeição da natureza."
"Daí o mágico-científico. Se calhar mágico-geométrico faria mais sentido."

"É tirar as pessoas do contexto urbano e metê-las na natureza. Recriar o Jardim do Éden."
(Nota: Não deviam abdicar do avião para lá chegar e da roupa nesse caso?)

"Vejo os Blasted como uma banda progressiva. Num sentido optimizado, claro, e não no sentido das bandas dos anos 70."

Confesso que não me sentiria tão tentado a transcrever estas citações se, depois disto tudo, as letras deles não fossem à base do "Eu acredito nas pessoas", ou, no caso dos títulos das canções do novo disco, cenas como "Under The Sun" ou "Source Of Light". É que para banda "progressiva", ainda lhes falta progredir do hippie-místico mais básico!

2 comentários:

Anónimo disse...

A mim parece-me uma dissertação estudada, com palavras que "acharam que ficavam bem" e que tinham "conteúdo"!
Pobres de espirito!

Luffi disse...

pobres de espirito aqueles que não conseguem ler as mensagens, corrompidos pelo básico, o indinferenciado, moldados pela mesma fábrica.
e a critica é construtiva quando feita na base do conhecimento, senão não passa de simples parvoice